lazer   / Representatividade

Separe menos de 7 minutos para ver 'Hair Love' e entenda mais sobre aceitação dos cabelos naturais

O vencedor do Oscar 2020 de Melhor Curta de Animação fala sobre cabelo afro

MANEQUIM Publicado terça 6 abril, 2021

O vencedor do Oscar 2020 de Melhor Curta de Animação fala sobre cabelo afro
Curta 'Hair Love' fala sobre cabelo afro com sensibilidade e representatividade - Divulgação

No últimos dias, a internet olhou com mais atenção sobre os cometários de cabelos afro após um comentário de Rodolffo dentro do Big Brother Brasil 21. O sertanejo comparou o cabelo crespo de João ao da peruca do Castigo do Monstro de homem das cavernas. Imediatamente, a fala foi interpreta como racista pelo brother e por grande parte do público.

+VEJA: João expõe comentário racista de Rodolffo sobre seu cabelo: "É um momento de muita coragem"

No Jogo da Discórdia da última segunda-feira, 5 o professor aproveitou o momento para falar  do comentário racista, disfarçado de piada, do sertanejo. Após o desabafo, Pocah, mãe de Vitória, também relembrou de um momento em que sua filha confessou odiar o seu cabelo crespo e como faz para mostrar representatividade para ela.

Para discutir melhor o assunto, resolvemos relembrar do vencedor do Melhor Curta Animado do Oscar 2020. Mas, por quê? 

Hair Love (Amor ao Cabelo) conta a história de um pai que tenta arrumar os cabelos crespos da filha. A trata de pouco menos de 7 minutos é uma obra que fala sobre uma menina negra e sua família. 

+VEJA: O que podemos aprender com o relato de Pocah sobre a importância de ensinar crianças que o cabelo crespo é lindo 

Na produção, a garotinha Zuri acorda e vai se arrumar diante do espelho. Entretanto, quando solta o cabelo, a tela se enche com seus fios afro. No curta, o pai precisa aprender a arrumar o cabelo dela, pela primeira vez. Isso porque sua mulher, Angela, está fora de casa. Ele não desiste da missão de arrumar os cabelos da pequena Zuri - e ele tenta de tudo, até mesmo os famosos tutorias no YouTube.

Escrito por Matthew A. Cherry, que revelou em entrevistas que se inspirou em vídeos de pais tentando pentear os cabelos afro das filhas para criar o enredo. “Passamos jornadas capilares pelas quais as pessoas não entendem. Querem tocar e ver se é diferente. Há micro-agressões que tendem a deixar muitas pessoas inseguras. A coisa mais legal que eu já vi nesse projeto é que as pessoas conseguem se relacionar com essas imagens”, disse ao site americano Refinery 29, quando entrevistado antes do Oscar.

O curta é especial porque fala de aceitação, representatividade, divisão de tarefas na criação dos filhos - tudo de foma super sensível.

+VEJA: Brunna Gonçalves faz show com cabelos naturais e desabafa sobre racismo e transição capilar 

Deu tão certo que a produção será transformada numa série de 12 episódios intitulada Young Love, produzida pelo HBO Max, serviço de streaming da HBO. 

Assista: 

 

 

Último acesso: 16 Apr 2021 - 14:45:59 (1044091).